A vida é um carrocel (onde é que já ouvi isto?)

Deixar de ser único é fodido. É tão mau que até merece um valente palavrão, a abrir. E não é uma questão de gostar de aplicar uns palavrões, aqui e ali, assim como quem não quer a coisa. Nada disso. O palavrão está bem aplicado porque condiz com a condição de quem deixou de ser único. Neste caso, eu! Não é que seja o fim do mundo, porque não é, mas é uma sensação diferente, que é necessário perceber. Nada que não se faça com um pouco de calma e sensatez. À medida que a vida avança vamos ficando diferentes, vamos percebendo que as coisas vão evoluindo, se vão modificando. À medida que a vida avança e vamos perdendo quem nos rodeia, começamos a perceber que não somos indestrutíveis e aquela sensação de que somos imortais vai-se desvanecendo. É a lei da vida e não estou a inventar nada. O deixar de ser único… é igual. Vai acontecendo gradualmente, muitas das vezes acontece sem as pessoas se aperceberem disso, muito lentamente, portanto, mas sempre com o mesmo resultado. E isso, isso é fodido!

Leave a Reply