Vai ser bonito, vai, vai!

Como se não me bastasse o Cristianinho, a sua tristeza e os seus amuos, deparo-me com coisas bem mais sérias e que merecem realmente a minha preocupação. O que se passa nas escolas é mesmo muito preocupante. O ministro decidiu cortar cegamente. Sem qualquer noção das realidades existentes. A minha, neste ano lectivo, é a dos Cursos Profissionais. Ainda não consegui perceber como é que se vai realizar o trabalho sem existirem horas para tal. Nos cursos profissionais, os desgraçados dos professores que ficarem com a direcção de curso vão ter de andar nas suas horas livres a bater às portas das empresas para conseguirem o estágio para os seus alunos. O mesmo vai suceder com as Provas de Aptidão Profissional que, muito provavelmente, não irão ter o mesmo acompanhamento por parte dos professores. Pelo menos eu, não tenho o dom da ubiquidade… gostava, mas não tenho… Estes cursos têm uma grande componente prática e, se já era difícil com vinte alunos, vai ser bem mais complicado com vinte e quatro por sala. E o assunto poderia prolongar-se por aí fora, tais são os atropelos ao bom senso e à razoabilidade que é melhor ficar por aqui.

Como grande consequência deste conjunto de anormalidades, prevejo uma perda de qualidade do ensino que irá ser ministrado por essas escolas de Portugal. Estas medidas foram sendo tomadas muito subtilmente, pela calada, e nem os pais se aperceberam daquilo que espera aos seus filhos. Os professores, esses, continuam mal representados, mal aconselhados e ninguém sabe onde pára aquele senhor de bigode, parecido com a mãe, nem o que tem andado a fazer.

Por último, já se percebeu que os objectivos do ministro foram alcançados. As imagens que as televisões mostraram ontem dos milhares de professores que se dirigiram para os centros de emprego são bem elucidativas. O homem é maior das desilusões, para aqueles que acreditavam que ele ia mudar o mundo…

Leave a Reply