Uahm… Uahm… Uahm… e não diz nada de jeito… Uahm… Uahm…

Casualmente, muito casualmente e eu sei que não dá para acreditar, olhei para a televisão da cozinha e reparei que estava a dar o jogo de Portugal com uns tonos de uma terra longínqua, muito longínqua, mesmo. Uns marretas inqualificáveis. Pronto, não interessa o que eles são. No que eu reparei é que o nosso homem do sbordem, que agora está à frente dos gloriosos… destinos da selecção, continua o mesmo bronco de sempre. Fiquei de boca aberta com a reacção intempestiva do personagem quando o árbitro apitou para o intervalo quando poderia ter deixado marcar mais um canto a favor de Portugal. O personagem das calças bem puxadas para cima gesticulou como se não houvesse amanhã, gritou a plenos pulmões e eu faço uma pequena ideia dos palavrões que não terá proferido. É isto que temos! Um verdadeiro bronco que serve de exemplo para milhares de miúdos que devem estar a ver o jogo.

Pus-me a pensar se haveria alguma razão que justificasse tamanho exagero e só consegui chegar à conclusão que deve ter sido motivada pelo facto do ministro das finanças portuguesas ter anunciado que iria taxar as grandes fortunas e aqueles que ganham muitos milhares de euros…

Leave a Reply