Autêntica besta! (o lobito não tem culpa)

Nesta altura tão complicada, em que o país vive numa crise sem precedentes, há umas bestas que mandam uns bitaites sem o mínimo cuidado. Cuidado, para não ferirem susceptibilidades, cuidado porque são figuras públicas e as suas afirmações podem ter consequências devastadoras. Eu também gosto de mandar os meus bitaites e, se calhar, também posso ser uma bela besta no que digo e penso, mas quem sou eu? Apenas mais uma pessoa, completamente desconhecida e que não influencia em rigorosamente nada a vida dos portugueses. E quem é a besta? Nada mais do que o presidente de um banco português, um tal de Fernando qualquer coisa impronunciável (tipo… alemão…) que, do alto do seu miserável ordenado mensal, mais ajudas de custo, quando questionado sobre se a austeridade não estaria em níveis insuportáveis e se o país aguentaria mais, afirmou “O país aguenta mais austeridade?… Ai aguenta, aguenta”. O que chocou, foi a forma aguerrida como  o disse, como se fizesse profissão de fé e foi de uma prepotência que espelha bem a sua forma de estar na vida. Nunca deve ter passado por dificuldades na sua vida, e ainda bem, mas quem está a passar por dificuldades deve sentir uma grande revolta por pessoas destas estarem à frente da linha do poder. Não é uma questão de hipocrisia. É uma questão de respeito, neste caso, pelos mais fracos. Claro que se pode sempre dizer que as palavras ficam com quem as pronuncia… mas quando são palavras incendiárias… a coisa pode dar para o torto.

Leave a Reply