Confesso que deixei de confessar.

Já não gosto de começar as frases a confessar, seja lá o que for, deixei-me de confessar. Isto ou aquilo. Afinal, ninguém está interessado que eu venha para aqui confessar seja lá o que for. Não é verdade? Por isso e por mais uma data de coisas, devo esforçar-me em começar as frases de outra forma. Também gostava muito de ter uma atitude mais positiva perante a vida. Eu quero dizer, mais ainda. Sim, eu sou positivo, tenho mesmo um sentido positivo da vida. Não parece, não é? Mas sou. Aliás, acho que não vale a pena ser de outra forma. É mais difícil ser positivo, principalmente nos tempos que correm. Há muito boa gente que confunde ser positivo com alienação. São duas coisas distintas. Eu gosto das duas. E consigo ser as duas, embora em tempos e alturas diferentes. Digamos que se complementam.

Está-me a parecer que a cumbersa vai descambar e talvez seja melhor ficarmos por aqui. Melhor ainda. Vou colocar uma fotografia que expresse bem o sentimento de pertença…

bp16 (2)

2 thoughts on “Confesso que deixei de confessar.

  1. admin Autor do artigo

    Eheheheh, mudar mudar, não mudei…
    Ando é cansado. Foi a mudança de temperatura que me deixou assim, lerdinho das idéias…
    Se calhar vou até à praia, a ver se o juízo volta 🙂
    Abraço Luís

  2. Luís

    Estive eu a ler isto até ao fim, na esperança de ter acesso a uma foto das tais, como deve ser, e … para meu espanto, até luvas a moça tem. Será que MUDASTI ?
    Bom fim de semana e pensa bem, volta às fotos inspiradoras… pelos menos com as mãos a descoberto.

Leave a Reply