Era para ser uma crónica, ficou-se por um desejo…

5122230

Estou quase a atingir a maturidade. Vem nos livros. A maturidade atinge-se a partir dos cinquenta. A dos homens, claro está. As mulheres são mais expeditas e conseguem chegar lá mais cedo… a tudo, aliás. Não sei como é que as mulheres conseguem mas, o que é certo, é que conseguem sempre lá chegar primeiro. Deve ser um defeito genético.

Isto ia acabar aqui. Mas depois, depois fui procurar uma imagem. Gosto de coleccionar imagens. Tenho uma enorme base de dados… ilegal, perfeitamente ilegal e, qualquer dia, ainda vou preso por utilizar imagens que não são minhas… mas que me permitem… posso? escrever? o que me vai nesta alma azeiteira? Então aqui vai: que me permitem (vai uma pausa porque me custa muito, mesmo)… expressar o que me vai na alma. Pronto, já está!

Desfocando o assunto. Expressão é um termo azeiteiro, pode ser?

Não consigo expressar-ME mais…

2 thoughts on “Era para ser uma crónica, ficou-se por um desejo…

  1. gugu

    Como grande seguidor das suas cronicas, venho por este meio informar que está tudo muito bem, ás vezes também não consigo expressar-me, bem haja e parabéns pela sua maturidade…abraço.

Leave a Reply