Cretino!

deficiencia

Finalmente uma pausa no trabalho. O início do ano lectivo é sempre custoso. A quantidade de papel que é necessário gerir e tratar é desgastante. Respirar fundo e fazer uma pausa, por vezes, torna-se imperioso… para retomar o balanço…

Felizmente, tenho trabalho. Mas isso não me impede de ser crítico. Não me impede de estar atento ao que se vai passando na minha área. Tal como muitos outros profissionais do sector e apesar de estar numa escola que funciona bem, tenho de lidar com imensas dificuldades diariamente. Não me vou alongar sobre o assunto pois são pormenores que os nossos governantes fazem questão de achar como sendo normais…

A minha ideia sobre o actual governante da pasta da Educação está feita. Está feita há muito tempo. É um governante fraco e tenho apenas uma pequena dúvida: será pouco dotado de inteligência ou é apenas cínico? Confesso que estou com esta dúvida porque olho para o primeiro ministro e vejo incompetência, de seguida olho para o vice primeiro ministro e vejo cinismo e não consigo perceber qual dos dois o governante da educação quer imitar. Estou mais inclinado para a falta de capacidade para exercer o cargo. Pode parecer que estou a ser arrogante mas… nada disso… apenas tive mais uma demonstração da incapacidade do governante. Hoje, o senhor foi ao parlamento português “responder” a umas perguntitas de alguns personagens que por lá pairam e acharam por bem fazer-lhe. Ouvi-as todas. Assuntos concretos merecedores de uma resposta simples e objectiva.  O governante limitou-se a fazer de conta que não ouviu e disse meia dúzia de palavras vazias de conteúdo. Impávido e sereno, como se não fosse nada com ele. De seguida veio um jovem turco, seguidor indefectível do cínico, que desatou num botalambismo ensurdecedor (um cão não consegue fazer mais barulho quando lambe ruidosamente os tomates, por assim dizer…). Desliguei o televisor.

Parece que o governante acabou a pedir desculpa pelo erro na colocação dos professores. Eu não vi como foi… mas imagino que não deve ter dito que se iria responsabilizar pessoalmente pelo facto de todos nós, contribuintes, termos de pagar pelo seu erro, já que vai haver dupla colocação de professores… Mas isso não interessa nada. É coisa para uns quantos milhões… Milhões esses que eram capaz de dar jeito para contratar os tarefeiros que são necessários para acompanharem os alunos com necessidades educativas especiais e que estão votados ao abandono em muitas escolas deste país.

Leave a Reply