Não há fome que não dê em fartura.

azul

Uma quinta feira à tarde, com chuva lá fora e a saber que vou ter de ir buscar as minhas filhas (sim, estou a deixar de as tratar por minhocas… Porquê? Porque elas cresceram…) não me deixa grande margem para fazer o que me vai na real gana. Gana? Real gana? Será que ainda tenho direito a falar nestes termos? Com esta idade ainda posso afirmar que consigo conviver de perto com a gana, a real gana? Se eu tivesse uma câmara de filmar e conseguisse enfiar aqui o respectivo filmezinho (o que é de todo impossível) facilmente se iria notar um olhozito a piscar… Sim!

Passo a explicar!

As minhocas deixaram de ser minhocas. Agora passaram a ser minhas filhas!

Estranho? Não me parece. Elas CRESCERAM! Estão autónomas e eu vou, finalmente, poder retornar à minha vida. Pelos vistos comecei ontem com um grande tombo. Foi para comemorar! As minhas filhas já se fecham no quarto! Já não querem dar beijinhos aos pais! Já não aceitam sugestões de possíveis combinações de roupa… Já vão às compras… com a mãe delas… Quando me levanto e as vou acordar para irem para a escola, completamente nú e como sempre, elas gritam “Pai! Que nojo! Sai do meu quarto!”.

Estamos assim!

Palpita-me que assim vamos continuar. Com tendência a melhorar!

Leave a Reply