O texto era para ser diferente, digamos assim!

PixMix537-img037

Começar um texto não é fácil. Aliás, nunca é fácil.

Há muitas maneiras de o começar. Quem sabe o que está a fazer, vai pelo caminho certo. Quem não sabe, inventa.

Já se percebeu que eu sou um dos que inventam. Como também já se percebeu que o que eu sei mesmo é… inventar.

Se me pedem um texto, eu fico assustado. Vou escrever sobre o quê? Sobre o mundo? Sobre o país? Os problemas da minha região? Sobre o que se passa na minha rua? Ou na minha casa? Bem, na minha casa não existem problemas! Para que conste! Existe é uma vontade enorme de mudar o mundo! O que é diferente!

Voltando ao assunto! Assunto não falta! Vontade de pegar no assunto… é que está mais difícil!

Por exemplo.

Temos a Educação como assunto! Toda a gente fala na Educação. Logo, é assunto! Não existem dúvidas sobre este assunto, certo?

É um valente assunto para especular!

Quem não tem um primo, ou uma prima mamalhuda, numa escola que não tenha um professor em falta? Resposta: todos nós, portugueses assíduos do país, temos um primo, ou uma tal de prima (mamalhuda) em primeiro ou segundo grau, que tem um professor em falta! É uma situação Sine Qua Non!… Aquele senhor que lá está habituou-nos assim! Mas esse é um assunto sério.

Eu sou mais de assuntos menos sérios. Eu sou pouco sério, devo dizê-lo. E não percebo porque é que cheguei a esta conclusão, assim tão facilmente!

Todo o ser humano acha que é sério, verdade? Então porque é que eu, logo eu, deveria achar que sou pouco sério??? Sim! Três pontos de interrogação!!!

Não percebo.

(o assunto vai continuar, um dia)

Leave a Reply