Era suposto que o assunto fosse a religião…

Eu?

Estou a ouvir isto numas colunas fraquinhas. Não é muito importante mas gostava de poder ouvir o raio das musiquinhas num sonzaço a rasgar. Tal e qual ouço Goa Trance… mas não dá, o portátil é fraquinho, tal e qual eu. É o que se pode arranjar.

Mas isso não é importante.

O importante mesmo foi a minha rica senhora ter passado mais um nível… e agora podia-me dar para a sopeirice e acrescentar: um nível no caminho da vida… Era bonito, não era? Mas não faz o meu género… nem o da sopeira que há dentro de mim…

Hoje foi um dia potente.

Difícil.

Não podia acabar melhor.

Muita coisa ficou para trás.

Amanhã será um dia melhor, com toda a certeza!

É nestes momentos que percebemos como a vida é… puff… era… foi…

Felizmente não se foi (se estivesse a escrever numa qualquer rede social da coisa…meteria um sorrizinho à maneira…).

Ia escrever sobre religião mas acho que não vou conseguir.

É um assunto demasiado intimista e eu não consigo pensar nestes assuntos sem um tinto, do Douro, de preferência. Não é por nada. Eu até gosto dos vinhos das outras regiões de Portugal… mas todos nós temos as nossas taras e manias…

E se eu tivesse uma companheira que, hoje, substituísse a verdadeira companheira… até era rapazito para escrever umas coisas sobre religião.

Assim, a reserva que me calhou não vai dar para tanto.

E depois, amanhã, é outro dia e a reportagem que passou sobre as religiões vai deixar as suas marcas…

Leave a Reply