Quase de férias?

Tempos estranhos. Acabei a última reunião de avaliação online… Em tempos normais estaria aos saltos e aos abraços a todos aqueles que conseguisse apanhar porque… estaria a entrar num período de descanso… e desta vez… quem me dera estar a trabalhar. Nunca me passaria pela cabeça viver uma situação destas. Nem a mim nem a ninguém.

Todos aqueles que conseguirem ultrapassar este momento difícil vão viver a vida de uma forma diferente. Tenho a certeza que toda esta experiência vai marcar positivamente todos aqueles que não vivenciarem uma morte próxima, de um parente ou de um amigo. Para esses vai ser muito difícil.

Esta experiência, se não fosse trágica seria digna das mais aventuranças e transmitida de pais para filhos, mas tenho a impressão que vamos querer esquecer uma parte disto tudo. O que irá ficar nas nossas memórias? Pois, essa é que é a questão. O ser humano é pródigo em esquecer muito facilmente as experiências passadas. Para o bem e para o mal. Basta olharmos para a história e percebemos que nunca aprendemos com os erros e raramente sabemos valorizar o que de realmente positivo vivenciamos. Uma pena.

Leave a Reply