Oportunidade perdidas? Primeiro texto.

Ser cantor.

O primeiro texto começa logo mal. Ser cantor não foi para mim uma oportunidade perdida porque, muito simplesmente, a oportunidade nunca surgiu, mas como estes textos são para serem escritos pelo dono do blogue, permito-me inventar o que quiser e como muito bem me apetecer. Não sendo verdadeiramente uma oportunidade, alguma coisa tem de se chamar. Depois de pensar melhor no assunto, a palavra escolhida foi desejo. Foi, portanto, um desejo que me acompanhou durante alguns anos e que, de vez em quando, volta a surgir na minha vida. Ser cantor não será bem aquele desejo irreprimível, que nos deixa tolhidos se não for concretizado. Longe disso. Não passa mesmo é de um desejo. E os desejos são como as cerejas, nunca conseguimos comê-las todas. Uma pena, mas a vida é mesmo assim e a beleza disto tudo está na capacidade de conseguirmos lidar com as nossas frustrações, alegrias, medos, excitações e…por aí fora.

Posto isto, e antes de explicar o que é isto de ter um desejo em ser cantor, convém contextualizar algumas coisas porque não quero ser mal-entendido. Eu não percebo qual a razão que despertou em mim este desejo pois não sou particularmente admirador do mundo e das personagens ligadas à música. Aliás, não tenho pachorra absolutamente nenhuma para as starletes musicais…ou para a pose pseudoartística em que a maioria das pessoas ligadas à música tende a cair. Digamos que é demasiado show off para a minha pessoa e é por isso que nunca me senti motivado para dar um passo em frente e realizar esse meu desejo em ser cantor. E, no entanto… gostava de ser cantor…apesar de ser uma atividade que nem me aquece nem me arrefece.

Posto isto, será melhor ir direto ao desejo. O tal. O de ser cantor. E ser cantor para mim significa fazer uso da voz com uma intencionalidade. Comunicar. Eu gosto de comunicar, apesar de não ser um grande comunicador no sentido convencional, gosto de utilizar a voz para conseguir transmitir as minhas emoções. Claro que na maioria das vezes não consigo, como é evidente e como é normal ou não estivessem quatro biliões de pessoas em bicos de pés para serem ouvidos pelos outros quatro biliões de pessoas existentes no planeta terra. É verdade. O ser humano tem necessidade de se fazer ouvir e eu também tenho. A minha única vantagem em relação ao total de oito biliões de pessoas que vão habitando este planeta é que este blogue é meu e eu posso dizer o que me apetece e, como estamos no universo dos desejos, ainda posso ir mais longe, muito mais longe, e achar que sou um comunicador nato…

Leave a Reply